top of page

Elas&Tal: O futuro pela via da inovação

ELAS&TAL dessa semana merece ser apreciado com a mente aberta e imaginação aflorada, afinal de contas a visita virtual que tivemos com a experiencia do Geisimar Melo na Expodubai foi maravilhosa. Falar de futuro e inovação exige folego, está pronto?


Desde outubro de 2021 está acontecendo pela primeira vez no oriente médio, mais especificamente em Dubai, a EXPO.O país foi escolhido para mostrar o seu progresso econômico e cultural feito ao longo das décadas.

Este encontro gigantesco, realizado a cada cinco anos e que aborda temas como cultura, tecnologia, inovação, design e excelência humana está no ar desde outubro de 2021 com previsão de duração até março de 2022.


Esta edição conta com três temas centrais que elaboram e ilustram como os emirados árabes unidos está “conectando mentes, criando o futuro” por meio DA MOBILIDADE, SUSTENTABILIDADE E OPORTUNIDADE. Tá preparando para conhecer? #POEAMASCARAEVEM


O PAVILHÃO DE MOBILIDADE “ALIF”, CONCEBIDO PELA FOSTER + PARTNERS

A mostra nos convidou a refletir como os avanços em mobilidade estão impulsionando o progresso de cidades e países ao redor do mundo, transformando a maneira como vivemos e nos relacionamos com o espaço construído.


O distrito da mobilidade evidenciou a importância das conexões na vida cotidiana, diminuindo distâncias e aproximando pessoas.

Uma oportunidade de estabelecer sociedades onde informações, bens e serviços se tornam cada dia mais acessíveis.


Inclusive o “THE GREEN ARCH”, Pavilhão Belga na EXPO DUBAI 2020 destacou o surgimento das chamadas cidades verdes...Olha aqui mais uma vez nossa pauta sobre economia verde e sua importância para o futuro que está logo ali!


O PAVILHÃO DE SUSTENTABILIDADE “TERRA”, PROJETADO PELA GRIMSHAW

Eu imagino que esse distrito teve o papel de inspirar as pessoas a realizar ações para a preservar o planeta.


Diariamente nos tornamos mais conscientes sobre a importância da sustentabilidade para o futuro do planetae à medida que nos engajamos e unimos nossas forças, pequenas ações ganham um novo significado.


Pelo que li sobre este distrito, os visitantes puderam conhecer melhor sobre tecnologias mais inovadoras e descobrir o que os países estão fazendo para promover a sustentabilidade do ambiente construído e como isso possivelmente poderá transformar a maneira como nos relacionamos uns com os outros e com o espaço urbano no futuro próximo.


Destaque para o Pavilhão da Holanda projetado por V8 ARCHITECTS, com curadoria de KOSSMANNDEJONG que propõe um sistema climático circular que coleta água e energia e as transforma em um sistema de irrigação inteligente para a produção de alimentos, criando um ecossistema temporário que nasce da simbiose entre natureza, arquitetura e tecnologia.



E o queridinho que já está super badalado por ai o Pavilhão do Brasil claro, que levou a floresta amazônica para o deserto de Dubai, projeto incrível concebido pelos escritórios JPG.ARQ, MMBB ARQUITETOS E BEN-AVID.


Por último o mais instigante de todos eles o PAVILHÃO DA OPORTUNIDADE “MISSION IMPOSSIBLE”, desenvolvido pela AGI ARCHITECTS.


Pela experiência do Gilsimar Melo ao visitar esse distrito ficou claro que cada ação, por menor que seja, muda o mundo.

Já vimos isso na COP-26 e agora reforça como temos a oportunidade de dar vida à ideia de que cada ação é importante para iniciar uma mudança em direção ao melhor.


Outro destaque foi a arquitetura do Pavilhão Suiço “REFLECTIONS” projetado pelos arquitetos do OOS Architekten, equipe de cenografia do BellpratPartner e os paisagistas da Lorenz Eugster faz refletir que é chegada a hora de liberarmos todo potencial destes agentes de mudanças.


Nossas escolhas e ações estão sempre interconectadas.

Mais uma vez temos a oportunidade de ser agentes de mudança e transformação, personagens que inspiram sonhos e movem montanhas, praticamente um convite para desbloquear todo o potencial dentro de cada um de nós.


Nem preciso falar como fiquei maravilhada só de ouvir sobre a EXPODUBAI e imaginar a possibilidade de caminhar sob “árvores” que condensam energia solar e água, assistir a shows na arena ao ar livre e explorar pavilhões fascinantes.


Imagino a aula de arquitetura, diversidade, civilização e claro inovação que seja visitar a feira.


Em um mundo onde apenas 21% das 2 mil maiores empresas de capital aberto no mundo têm compromissos NET ZERO(emissão zero), com carbono neutro, encontrar uma mostra que gera 22% da própria eletricidade por meio de painéis solares nos telhados dos prédios, chega a ser emocionante.


Como disse Sanjive Khoslavice-presidente sênior da unidade de transição da EXPO 2020

“Alguns de nossos prédios são prédios com NET ZERO como o Terra, que gera sua própria eletricidade por painéis solares e toda sua água vem do céu e é reciclada, é realmente um grande exemplo do que é possível, e no legado continuaremos fazendo isso para garantir que essa se torne uma cidade realmente sustentável”.


Pelo visto desde 1851 quando surgiu a EXPO estamos experimentando criações e inovações de todos os cantos do globo. Até mesmo o celular, a máquina de Raio-X, a Torre Eiffel e o sorvete de casquinha tiveram sua passagem por lá.

Espero que tanta inovação sobre comunidades e tecnologias com potencial para moldar o futuro também sejam colocadas em prática de forma (rápida...) sustentável e consistente.


Gostou?

Não duvide do futuro, ele será instável, imprevisível, inteligente, inédito e circular.


Por Sâmara Merrighi

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page